Somos mulheres indígenas Paridas no Tapajós
É nossa sina
Proteger o futuro de todos nós
Somos Amazônia
Somos mensageiras Do Tapajós esse é o rio
Que as Suraras são guerreiras Somos Amazônia
Somos mensageiras Do Tapajós esse é o rio
Que as Suraras são guerreiras

(trecho da música de autoria de Leila Borari para o grupo Suraras do Tapajós)

 

MENSAGEM DA CURADORIA


As vozes de todas nós se misturam enquanto escrevemos este texto. Também carregamos conosco, para espalhar aos quatro ventos, as sementes plantadas por outras mulheres e por outros tantos artistas que não estão aqui, mas que também constroem quem nós somos. São eles: professores, mestres, arte-educadores, pesquisadores das artes, artesãos, compositores, músicos, atrizes e atores, palhaças e palhaços, cantores, poetas e escritores que colocaram sua alma em obras que inspiraram a nossa trajetória e hoje nos orientam, de onde quer que estejam, nessa curadoria.
Poderíamos chamar a curadoria de um desafio – pois temos que dar conta da equação: muitos projetos potentes e únicos + um limite de vagas para os selecionados + critérios éticos, técnicos e artísticos que norteiam a nossa escolha – mas, quando nos propusemos a atuar de forma colaborativa em uma curadoria construída totalmente por mulheres, em um projeto que visa acolher grupos e artistas que estão na beira, preferimos chamar esta curadoria de um exercício de coletividade.
Foram cerca de 300 inscrições nas quatro modalidades do Festival. O nosso maior desejo era contemplar o máximo de artistas e grupos, já que pudemos conhecer centenas de vivências e realidades de todo o Brasil e da América Latina. No atual cenário cultural brasileiro, que ainda insiste, resiste, sabíamos que a curadoria exigiria de nós aprender a dialogar com o desejo e com a responsabilidade. Ainda assim, acreditamos que conseguimos agregar uma pluralidade de linguagens, temáticas e vivências que representam bem a realidade latino-americana.
Para a curadoria da BEIRA!, buscamos critérios que estavam afinados com os objetivos do Festival. Desta forma, a metodologia da curadoria foi bastante permeada pela nossa busca por artistas que estavam fora do grande círculo artístico e cultural, que não circulam tanto em festivais ou outros espaços de apresentação. Além disto, por ser um festival online, a qualidade dos vídeos enviados e as estéticas que se enquadram melhor neste novo modo de assistirmos a um espetáculo pelas telas de nossos computadores e celulares, também foram critérios levados em consideração. Buscamos abranger uma pluralidade de lugares em nosso país, uma pluralidade de representatividades e buscamos por grupos e artistas que estão à beira.
As curadoras mergulharam neste universo de projetos e inscrições, das mais diversas temáticas e regiões do país e, após um trabalho árduo e desafiador, chegamos a este resultado. Um resultado que representa esta pluralidade, que representa a possibilidade e a potência que a arte tem, mesmo no formato online, nas diferentes vertentes artísticas.
Mantendo apenas encontros online, nós, curadoras, construímos diálogos muito enriquecedores sobre os trabalhos inscritos durante o período de deliberações. Percebemos a potência da expressão da arte latino-americana! Percebemos também como ainda precisamos de mais políticas públicas e oportunidades para que muitos destes trabalhos que ficaram fora desta edição, por falta de espaço na grade de programação, possam também chegar ao grande público! Por isto, criamos também uma lista que chamamos de “BEIRA! Indica”, uma forma de nós, curadoras, mostrarmos muitos dos projetos que não foram selecionados, mas que precisam e devem ganhar espaço e voz.
Nos aproximamos enquanto quatro mulheres de diferentes realidades, quatro mulheres artistas que se encontraram pela primeira vez em um evento mas, sobretudo, nos encontramos em um evento que acolhe a realidade, a qual, vivenciam e, nela se conectam, os artistas pelo Brasil. Além de uma conexão feminina e a ancestral, nos conectamos com os artistas, nos sentimos próximos deles e de suas obras. Os seus espetáculos, as suas palavras, as suas reflexões e as suas trajetórias nos fizeram reviver memórias e nos emocionaram com perspectivas mais criativas de futuro.
Atuar como curadoras da BEIRA! foi uma experiência em que pudemos nos reencontrar com nós mesmas por diversas vezes, pudemos nos resgatar, pudemos nos tirar do desalento que por vezes a jornada do ser artista nos coloca. O fôlego, encontramos na trajetória dos diversos artistas que pudemos conhecer através das propostas que chegaram até nós pelas inscrições e, a nutrição, encontramos nas tantas e ricas obras que assistimos por ocasião da curadoria desta primeira edição da BEIRA! Festival.

Um abraço,
Leila Borari, Letícia Pocaia, Fernanda Missiaggia e Carolina Caldas.

Conheça os selecionados por modalidade


O chamamento BEIRA! foi aberto para que surgisse uma oportunidade de conhecer novos projetos, artistas e espetáculos que não estão ao nosso alcance. Nesse período, artistas de todos os cantos do Brasil e da América Latina enviaram trabalhos que nos brilharam os olhos, a seleção dos projetos que vão compor a programação da primeira edição da BEIRA! Festival buscou trazer variedade de linguagens, regiões e expressões artísticas, trazendo para a cena do festival novas possibilidades de expandir o olhar.

Para conhecer os selecinados, clique aqui:

Mostra de Espetáculos

o que é?

A Mostra de espetáculos da BEIRA! reúne espetáculos da cena, expressões populares culturais, teatro ou dança de artistas indígenas, afro-brasileiras de outros grupos ou artistas fora da cena tradicional de cultura.

ESPETÁCULOS SELECIONADOS – Nacional

1) Sodade >> NORTE/ Manaus/ AM
2) Maria Firmina dos Reis, uma voz além do tempo >> NORDESTE/ Maranhão
3) Karingana Ua Karingana! Histórias de Áfricas >> SUL/ Paraná
4) Xabisa >> SUDESTE/ Minas Gerais
5) Entre elas >> SUDESTE/ São Paulo

Suplentes:
1º) Vikings e o Reino Saqueado >> SUL/ Paraná
2º) O Vazio, O vestido, O veado >> NORDESTE/ Fortaleza
3º) Histórias do lado de cá da Calunga >> SUDESTE/ São Paulo
4º) Papiamento >> SUDESTE/ Minas Gerais
5º) Todas As Marias Que Sou >> NORTE/ Manaus/ AM

ESPETÁCULOS SELECIONADOS – Internacional

1) Lala – Llégue para nacer >> Mendoza/ Argentina
2) Gato negro (lambe-lambe) >> Buenos Aires/ Argentina

ESPETÁCULO SUPLENTE – Internacional

1) AMATEUR Dance Film >> Valparaíso/ Chile

Mostra Aldir Blanc

O que é?

Pensando em uma maior articulação de artistas, a mostra Aldir Blanc exibe espetáculos de grupos e artistas que tiveram obras contempladas nos editais Proac LAB de produção do Estado de São Paulo.

SELECIONADOS

1) Funmilayo Afrobeat Orquestra;
2) BGirls – Beatles por elas;
3) Matrística relicário;
4) Corpo Fechado;

Suplente:
1º) Roleta Drag

Oficinas Culturais

O que é?

As oficinas culturais buscam compartilhar saberes indígenas e afro-brasileiros. A participação será gratuita e com vagas limitadas.

Oficinas Saberes Indígenas:

SELECIONADA: Saberes indígenas e manifestações artísticas na Amazônia

SUPLENTES
1ª suplente) Oficina de carimbó: o ecoar do curimbó e seus encantos
2ª suplente) Grafismos e culturas indígenas: arte, manifestação cultural e tradição

Oficinas Saberes Afro-Brasileiros:

SELECIONADA: Oficina de dança e poesia do resgate cultural afro-Brasileiro

SUPLENTES
1ª suplente) Oficina – Dramaturgias Contemporâneas como arte da “escrevivência”
2ª suplente) METAMORFASES DE UMA MULHER BORBOLETA

Mostra de Diálogo

Quem participa?

As rodas de debates contarão com os seguintes temas: Cultura na Beira, Festivais, Grupos Iniciantes, Políticas públicas. Pode se inscrever como debatedor qualquer pessoa interessada em discutir algum destes temas.

Calendário BEIRA!


5

MARÇO

DIVULGAÇÃO DOS SELECIONADOS

19-28

MARÇO

FESTIVAL BEIRA!

rolou alguma dúvida?

Escreva pra duvidas@beira.art.br que vamos te ajudar!